STEFANINI IT SOLUTIONS: O olhar além da crise de Marco Stefanini

30 DE MAIO DE 2014 - TECNOLOGIA

A história da Stefanini IT Solutions – uma das maiores empresas nacionais prestadora de serviços de tecnologia da informação – retrata o espírito empreendedor e otimista de seu fundador, que vê crise como oportunidade

O olhar tranquilo e o sorriso fácil são características percebidas logo no primeiro contato com Marco Stefanini. O empresário que fundou a empresa de tecnologia da informação que hoje é a terceira indústria nacional mais internacionalizada não perdeu a simplicidade, mesmo com números tão representativos: a Stefanini IT Solutions tem um quadro de mais de 18 mil funcionários, 76 escritórios e 400 instalações espalhados em mais de 30 países, e um faturamento que já ultrapassa os dois bilhões de reais.

Para Marco, é tudo consequência de muito trabalho e dedicação. E de ver com bons olhos as oportunidades da vida, mesmo que elas se apresentem como crises. Marco conseguiu criar uma empresa desse porte, enfrentando uma época conhecida como “década perdida”, expressão que se refere ao fim dos anos 1980 e início da década de 1990, quando houve uma forte retração da produção industrial e um menor crescimento da economia mundial. No Brasil, o período significou o fim do ciclo de expansão vivido na década anterior, o aumento do desemprego e a diminuição do poder de consumo da população.

Mas Marco não desanimou e a trajetória que seguiu é contada no livro “O filho da crise”, do jornalista Rogerio Godinho. Lançado em 2011, o livro vai além da história do empresário e do mercado de tecnologia: acaba revelando algo sobre a própria natureza do ser humano, suas limitações e possibilidades e representa um pouco a história e o perfil de cada brasileiro. No relato, a forma de gestão do fundador e presidente da Stefanini é apresentada e o leitor começa a entender um pouquinho como ele conseguiu transformar as crenças que tem sobre a vida na maior empresa de tecnologia do Brasil.

"Tenho uma relação próxima com os clientes e colaboradores, nunca deixo de ouvir a opinião de todos. Transparência é o fator chave para a construção de parceria e de relacionamentos a longo prazo”

Um dos componentes que levaram Marco ao sucesso é a maneira otimista de ver a vida. É fácil ouvi-lo mencionar, durante conversas, que o “copo está sempre meio cheio” e que é fundamental “fazer do limão uma limonada”.  "Sempre acreditei que o sucesso vem mais da transpiração que da inspiração. Tenho uma relação próxima com os clientes e colaboradores, nunca deixo de ouvir a opinião de todos e usar a autocrítica para me aprimorar constantemente. É importante trabalhar com energia, flexibilidade mental e humildade intelectual", filosofa.

Talvez a palavra que melhor defina esse caminho traçado por ele seja “resiliência” e a capacidade de se adequar às situações apresentadas. Marco Stefanini sempre gostou de área de exatas e acabou fazendo vestibular para geologia, já que era uma forma de unir uma de suas grandes paixões – viajar pelo mundo – com a possibilidade de trabalhar em ambientes mais informais. No primeiro trabalho em uma mina, no interior de Goiás, Marco percebeu que aquele não era seu ambiente e, após fazer um curso de seis meses, decidiu aceitar uma proposta na área de TI. 

A partir daí, não só mudou o rumo da carreira, como também transformou uma pequena empresa de análise de sistemas na primeira multinacional brasileira do setor. A Stefanini foi fundada em 1987 como uma empresa de treinamento. Em 1990, iniciou o desenvolvimento e a manutenção de sistemas, que levou a empresa, quatro anos depois, a criar soluções customizadas para os clientes. Em 1995, foram inaugurados os primeiros escritórios fora da cidade de São Paulo: em Campinas, Curitiba e Porto Alegre.

INTERNACIONALIZAÇÃO

A empresa começou a expandir as fronteiras em 1996, com o primeiro escritório fora do país aberto na Argentina. Nos anos seguintes, alcançou rapidamente o Chile, o México, o Peru, a Colômbia e os Estados Unidos. Em 2003, a Stefanini atravessou o oceano para marcar presença na Espanha, em Portugal e na Itália. E foi em 2005 que a empresa recebeu uma das certificações mais valorizadas no mundo de TI, a Capability Maturity Model - Integration level 5.

Marco Stefanini tem uma maneira peculiar de fechar negócios. O empresário entende que a base de qualquer transação está na boa relação entre as partes interessadas. Para ele, o pilar principal é a criação de relacionamentos de longo prazo e de confiança com o cliente. “Transparência é o fator chave para a construção de parceria com os clientes. Quando participamos de eventos da área, por exemplo, não fechamos negócios imediatamente, mas estreitamos mais os relacionamentos com possíveis clientes e procuramos consolidar a imagem do país e da marca”, explica.

“O mundo é um lugar complexo, envolto em crises que não são mais regionais e impactam todos. A história da Stefanini revela que a crise pode ser, sim, um ambiente para desenvolver novos negócios. A crise cria pessoas e organizações mais resilientes e eu me considero um exemplo disso”

Para Marco, a Stefanini sempre se diferenciou pela capacidade de adaptação aos diversos cenários e à oferta de serviços de maneira flexível. “As diferenças culturais ajudam a oferecer um atendimento diferenciado aos clientes, com colaboradores familiarizados com sua cultura e necessidades”, explica. Em 2006, abriu um escritório em Londres e outro na Índia; em 2008, passou a atuar no Canadá e, em 2009, iniciou o processo de aquisições, com a incorporação da empresa Callere, especializada em tecnologia para digitalização e transmissão eletrônica de dados. Com a aquisição, nasceu a Stefanini Document Solutions, voltada para auxiliar empresas na leitura e processamento automático de documentos, tecnologia bastante utilizada, especialmente, em bancos.

Em 2010, continuou sua expansão com a compra da Tech Team e de uma empresa brasileira com portfólio focado em segurança, a VANguard. Em 2011, a Stefanini se consolidou como empresa global, com a aquisição da CXI, nos Estados Unidos, e Informática & Tecnología, na Colômbia, além de também crescer de forma orgânica, inaugurando sete novos escritórios no Brasil. Nos anos seguintes, novas empresas estrangeiras foram adquiridas: Orbitall (processadora de cartões), Top Systems (soluções para o setor financeiro), Woopi (focada em projetos de inovação) e RCG Staffing (especializada em recrutamento e treinamento de profissionais de TI). Também chegou ao 30º país, com a abertura da filial da África do Sul.

“O mundo é um lugar complexo, envolto em crises que não são mais regionais e impactam todos, em maior ou menor grau. À primeira vista, este pode ser um cenário inóspito para empreender. Porém, a história da Stefanini revela que a crise pode ser, sim, um ambiente para desenvolver novos negócios. A visão otimista permite ver, no racionamento de recursos, uma possibilidade para criar soluções diferenciadas e para inovar, buscando sempre mais eficiência, produtividade e performance. A crise cria pessoas e organizações mais resilientes. E eu me considero um exemplo disso”, declara Marco.

Segundo ele, o caminho do Brasil é fazer com que o setor de tecnologia deixe de ser commodity e passe a ser visto com alto valor agregado. “Tecnologia da informação é um instrumento que vem ocasionando a mudança da economia de maneira geral. E para gerar um diferencial, é preciso apostar em P&D (pesquisa e desenvolvimento), cruciais para qualquer sociedade que queira se consolidar”, finaliza.

VISÃO A LONGO PRAZO

Marco lembra que a empresa sempre contou com recursos próprios e passou ilesa por todos os distúrbios econômicos, inclusive, a crise financeira global de 2008 e 2009, quando na contramão dos acontecimentos conseguiu crescer 90%. Dessa maneira, em dez anos, a Stefanini acabou multiplicando seu tamanho em doze vezes e hoje é considerada uma das cinco empresas mais inovadores do Brasil, segundo a publicação americana Fast Company. “Acreditamos que as soluções inovadoras podem representar um salto qualitativo ao nosso portfólio e nos permitem entregar serviços mais alinhados às atuais necessidades de negócios das empresas”, declara Marco. E, nessa linha de investimento na inovação brasileira, a empresa atua como uma incubadora de startups, com centros de desenvolvimento e inovação espalhados pelo Brasil. Também para contribuir com o crescimento e a continuidade do setor no país, Marco criou o Instituto Stefanini, que qualifica pessoas de baixa renda e as ajuda a ingressar no mercado de trabalho. Em onze anos de existência, o instituto já ajudou mais de 50.000 pessoas.

“A tecnologia deve ser forte aliada para o crescimento e a prosperidade dos negócios. Desde a base de sua estrutura até o relacionamento com os clientes, uma empresa pode ter, à sua disposição, soluções que a tornam diferenciada, única e sempre um passo à frente de seus concorrentes”, explica Marco. Mas, mesmo com todo o potencial que o setor oferece, o CEO de uma das grandes multinacionais do Brasil lembra que o ponto crucial de todo esse processo são as pessoas: “acreditamos na força da tecnologia como uma forma para as empresas se revolucionarem e é por isso que a Stefanini desenvolve soluções e inovações em todo o mundo. Mas, por mais importante que a tecnologia possa ser, é você, e só você, quem pode mudar o mundo”.

Marco Stefanini é fundador e CEO Global da Stefanini IT Solutions. O empresário adora viajar e acredita que “sempre devemos enxergar o copo meio cheio”. Marco gosta de ler biografias de personalidades empresariais e leva, como lema de vida: "Crise deve ser vista como oportunidade".
Compartilhe essa história
FONTES DE PESQUISA

DADOS ECONÔMICOS

Quer saber mais sobre Stefanini IT Solutions?

    • Ano de fundação:
      • 1987
    • Fundador:
      • Marco Stefanini
    • Chairman & CEO:
      • Marco Stefanini
    • Presidentes:
      • Marco Stefanini (CEO Global), Monica Herrero (CEO Brasil)
    • Número de escritórios:
      • 76
    • Quantidade de funcionários:
      • Mais de 18.000 colaboradores (cerca de 50 % do time de líderes são mulheres, incluindo a CEO Brasil, maior operação da Stefanini, com 60% do faturamento)
    • Setor econômico em que atua:
      • Tecnologia
    • Principais produtos:
      • Serviços de TI
    • Slogan:
      • Powering your business
    • Website:

A internacionalização da Stefanini IT Solutions

    • Exporta desde quando:
      • 2001
    • Valor exportado em 2013:
      • 40% do faturamento
    • Presença global:
      • Mais de 30 países
    • Principais mercados internacionais (países e/ou continentes):
      • USA, EMEA e México
    • Principais produtos exportados:
      • EUA, Europa, Oriente Médio, África e México

Apex-Brasil e Stefanini IT Solutions

    • Projetos da Apex-Brasil dos quais já participou:
      • Projetos Setoriais BRASSCOM, desde 2009 até 2014 Projetos Setoriais SOFTEX, desde 2010 até 2014 Missão Colômbia 2010 Projeto Fórmula Indy, 2012, 2013 e 2014 Projeto Carnaval, 2013 e 2014 Projeto Copa das Confederações, 2013 Projeto Copa do Mundo, 2014